escritas e falares da nossa língua


quinta-feira, maio 10, 2007

o parentesco

o nome dos parentes de primeiro, segundo e terceiro grau, seguintes e por afinidade, são praticamente os mesmos em Portugal, no Brasil e na Galiza, com pequenas variantes.

Abô, Avô (Br. e Pt.) - na Galiza, Abó, Avó.
Avozinha, Vó, Vovó (Pt.) - no Brasil, Vovó
Avozinho, Bô, Bu, Bubu, Vô (Pt.) - no Brasil, Vovô. ver Comentº de Calécia
Bisabô, Bisavô (Br. e Pt.) - na Galiza, Bisabó, Bisavó
Bisabó, Bisavó (Br. e Pt.) - na Galiza, Bisabóa, Bisavóa

Filho /a- graf. altern. (Gz.): Fillo /a
Genro (Br., Gz. e Pt.) - o marido de uma filha. graf. altern. (Gz.): "Xenro"

Irmã (Br. e Pt.) - na Galiza, Irmâ (tamém em Portugal, Irmâ, Irmá. creio até que a pronúncia "irmã" soaria a preciosismo). ver Comentº de La Queue Bleu

Irmão (Br. e Pt.) - na Galiza, as variantes Irmán, Irmao, Irmau. ver Comentº de La Queue Bleu

Madrasta (Pt., Gz. e Br.) - a mulher do meu pai que não é minha mãe. na Galiza, as variantes Madrasca e Madrasga

Mãe (Br., Gz. e Pt.) - na Galiza, as variantes Mai e Nai
Mamã (Pt.) - no Brasil, Mamãe; na Galiza, Mamai, Nanai
Netinho - graf. altern. (Gz.): Netiño
Neto /a -
Nora (Br., Gz. e Pt.) - a esposa de um filho.

Padrasto (Br., Gz. e Pt.) - o marido da minha mãe que não é meu pai. na Galiza, tamém Padrasco

Pai (Br., Gz. e Pt.) -
Papá (Pt.) - no Brasil e na Galiza: Papai
Parente (Br,. Gz. e Pt.)

Prima/o (Br., Gz. e Pt.) - na Galiza outras variantes. ver Comentºs

Sobrinho /a - graf. altern. (Gz.): Sobriño.
dito galego de grande sabedoria: "gasta em festas e vinho o que tenhas que deixar ós sobrinhos"

Sogra/o (Br., Gz. e Pt.) - a mãe/pai do cônjuge
Tatarabó, Tataravó (Br. e Pt.) - na Galiza, Tatarabóa, Tataravóa
Tatarabô, Tataravô (Br. e Pt.) - na Galiza, Tatarabó, Tataravó

Tia/o (Br., Gz. e Pt.) - irmã ou irmão da mãe ou do pai. na Galiza, "Tio" também significa "padrasto". em qualquer dos países da fala, pode significar, antes do nome próprio, qualquer pessoa mais velha (usa-se em sinal de respeito). "tia" e "tio" podem ter tamém algumas conotações pejorativas. Tio pode, ainda, subentender, tal como "padrinho", uma relação de parentesco mais próxima mas inconfessável.

Trisabó, Trisavó (Br. e Pt.) - na Galiza, Trisabóa, Trisavóa
Trisabô, Trisavô (Br. e Pt.) - na Galiza, Trisabó, Trisavó

6 Comments:

  • em galego primo/a também se diz curmá/n (curmã/ão)

    By Blogger ictioscopio!!, at 5:13 da tarde  

  • Em curmã/ão também existem as variantes coirmám/Coirmão. E por zonas pode-se empregar para irmanastro.

    By Blogger Fer, at 5:31 da tarde  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    By Blogger La queue bleue, at 11:47 da tarde  

  • Na minha zona nom se diz irmá, senom irmám. De facto, nom se fai diferença normalmente: a minha irmám e o meu irmám.
    Quanto tempo, senhor viajante! É bom tê-lo de volta ;)
    (antes suprimim o comentário porque ando na pola e escrevim mal, hehe)

    By Blogger La queue bleue, at 12:04 da manhã  

  • olá. já expliquei num comentário da Toponímia que o meu falecido "pc" foi a enterrar. essas coisas demoram seu tempo a superar...
    mas, como tudo na vida, "rei morto rei posto". o novo "rei" (o pc) é um "rei" melhor, muito mais moderno e funcional...
    a vida continua.

    By Blogger o viajante, at 12:45 da tarde  

  • Bons olhos o vejam!...

    Falta ainda dizer que os meninos tratam o avô por Bu. Foi assim que eu tratei sempre o meu avô até à idade adulta, quando passei a trata-lo de "Bô" (Vô).

    Ainda hoje ouço Bu na maior parte dos casos.

    "Anda cá ao Bu!" (o próprio avô)

    "Bai ò Bu!" (um dos parentes)

    "Ò Bu!" (o neto)

    By Blogger Calécia, at 10:39 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home